sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Música

A música está em todo lugar
e desperta a sensibilidade
de pessoas que a tem como
afinidade.


Silvana

Triste Conclusão

Quando os olhos
e o corpo não
ardem de tesão
adianta não
dificilmente chegarás
no coração.

Silvana

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Comunicação

Nem sempre
ter fluência
no falar
significa comunicar

Clareza no explicar
palavras certas
e o olhar
ajudam a simplificar

O que se quer explanar
tem que estar
transparente
e todos enxergar

Parece bobagem
mas transmitir e entender
devem fazer parte
da mesma viagem

E todos deveriam
chegar
na mesma
estação.

Silvana F. Pereira

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Amor

Amor, então,
também, acaba?
Não que eu saiba.
O que eu sei
é que se transforma
numa matéria-prima
que a vida se encarrega de 
transformar em raiva.
Ou em rima.

Paulo Leminski

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Sexo em Moscou

Quando comecei a passear meus dedos
Pela sua marighelazinha já ficando molhada
Ela teve medo e recuou na resistência:
– Stálin! Stálin!
Mas depois deu uma olhada
Viu meu sputinik pronto a entrar em órbita
Exclamou feliz da vida:
– Que vara! Que vara!
– Que nikita mais krutschev!
Eu era o sessenta
Ela era lunática rainha lunik 9
Me sentia como se estivesse dando um cheque-mate
No próprio Karpov
E por não ser nem fidel e nem castro
Lambi sua rosa de luxemburgo
E a linda bolchevique geminha tesudinha:
– Ai língua de seda,
Maravilhosa,
Me lenine toda, meu bem
Me lenine toda,
Todinha!
Arranhava minhas costas com suas unhas de mil caranguejos
E sussurrava entre beijos:
– Marx! Marx!
E o colchão de molas rangia:
– Mao tse tung! Mao tse tung!
Me chamou de seu tesão
Maiokovsky do sertão
Engels azul do meio dia
Poeta do real
Sua fantasia
Olhou-me nos olhos e disse:
– Tú és o meu Brejnev!
E ficamos por um tempão
Deitados no colchão de neve
E nos amávamos
Esperando o intervalo
Entre uma e outra greve
Trotsky! Ela tinha uma bezerra gregoriana
Que deixava lamarcas
E quando o êxtase atingiu ao seu máximo górki
Quando estava prestes a acontecer um orgasmo dissidente
Sussurou rangendo os dentes
– Chove dentro de mim,
Chove, chove,
Gorbatchev!

Mano Melo

Dois loucos no bairro

Um passa os dias
chutando postes 
para ver se acendem

o outro as noites
apagando palavras
contra um papel branco

todo bairro tem um louco
que o bairro trata bem
só falta mais um pouco
pra eu ser tratado também.

Paulo Leminski